Água da Chuva, Podas e Manutenção da Bailarina

A Dorna de recolha de água da chuva encheu por completo e já tratámos de redireccionar parte da água excedente para o sistema de reaproveitamento de águas cinza enquanto não temos montado um sistema mais complexo e maior para armazenar a água a longo prazo. Durante a manhã de hoje o Sol espreitou e nós tratámos de continuar com as podas de inverno que andavam a ser adiadas há algum tempo. Todas estas podas serão reduzidas a elementos mais curtos que serão armazenados e secados para serem utilizadas nos nossos sistemas de aquecimento a biomassa reduzindo desta forma a necessidade de inputs exteriores. Libertámos finalmente o nosso maior loureiro de todos os ramos ladrões e rebentos secundários, equilibrando o seu aspecto e futuro desenvolvimento. O sabugueiro está lindo e estamos desejosos de recolher parte das flores para fazermos o nosso xarope de sabugueiro. Quando a manutenções materiais, a nossa bailarina estava a criar alguma ferrugem exterior como é natural, por ser um conceito que trabalha com água, vapor de água, condensações, diferenças térmicas, etc…  Removemos o que foi possível e ao acendermos o conceito para o banho do dia, aproveitámos a temperatura elevada do corpo de ferro fundido e pincelámos toda a superfície com azeite, da mesmo forma que se faz a manutenção em utensílios de cozinha em ferro fundido. O calor ajuda a gordura a penetrar mais profundamente, protegendo o ferro do cepo da bailarina da oxidação! 😉

Anúncios

Velocidade Cruzeiro

Ontem funcionámos a velocidade cruzeiro! Como forma de aproveitar o solarengo dia, limpámos e libertámos o espaço destinado à futura Oficina, fizemos algumas propagações e ainda antes do almoço recebemos os nossos amigos Ana e Bruno para nos virem dar uma mãozinha no controle de ervas e nas podas com o auxílio da moto-serra e da roçadora! No espaço de horas fizemos o que normalmente eu faria em algumas semanas. A serventia para a carrinha está de novo operacional, a zona da futura horta também já se encontra a avançar e as zonas limítrofes da vedação estão limpas e já se circula livremente. Todas as podas foram armazenadas para serem utilizadas nos nossos conceitos a lenha. Todas as ervas cortadas foram deixadas no local para seguirem com o seu processo de compostagem e nutrição do solo. Ao fim do dia, o banho dos guerreiros com água quente no chuveiro exterior soube pela vida! 😉 Ficou a faltar a poda de mais algumas árvores que terá de avançar durante esta ou a próxima semana. Amigos, obrigado pelo convívio e pelo vosso trabalho! 😉

Mantendo o nosso Jardim Comestível

Como parte da manutenção de inverno continuamos com a poda das árvores de fruto de forma a facilitar a entrada de luz, reduzir a energia gasta pela árvore na produção de folhas e concentrar a mesma na produção de fruto. Estamos no processo de domínio da arte e esperamos estar no bom caminho. As podas resultantes estão a ser armazenadas no telheiro da lenha para secarem e servirem dentro de pouco tempo para pegar os nossos sistemas de aquecimento a lenha! 😉 Estivemos em família, durante toda a manhã a embelezar o nosso jardim comestível e a torná-lo mais produtivo. Fizemos ainda uma tentativa de recuperação de uma romãzeira  e uma macieira que nos ofereceram, dando-lhes tb um corte acentuado e envasando-as com a terra do nosso espaço. Hoje ainda me aventurei e o duche foi no exterior com água fria! A alguns pode soar a loucura, a mim faz-me sentir que estou vivo! 😉

Podas e Plantações

Ainda durante estes dias cortámos podas que estiveram a secar durante o último mês, para abastecermos as nossas reservas para pegar os sistemas de aquecimento a lenha.
Continuamos aos poucos e à medida que vamos conseguindo ter tempo, com as plantações no espaço, adicionando cada vez mais nutrientes e plantas, mas desta vez sem dar cabo das costas com a enxada, pois finalmente adquirimos uma ferramenta adequada a esta tarefa,  um abre-buracos ou cavadeira. É uma maravilha! Precisamos de mais bananeiras. temos de encontrar alguém aqui perto que não se importe de dispensar uns rebentos! 😉

Limpeza de Terreno e Recolha de Medicinais

Durante o fim de semana recebemos visitas que deram uma ajuda preciosa na manutenção do espaço. Foram reabertos caminhos, libertando alguns ramos de nespereira e algumas trepadeiras que os tinham fechado. As podas foram colocadas para secar ao Sol e serão cortadas e utilizadas como lenha futuramente.

Utilizando a gadanha demos uma nova penteadela no terreno, controlado a altura das ervas e largando no local a nova matéria orgânica. Fizemos o mesmo manualmente em zonas mais sensíveis, aproveitando ainda para controlar as diferentes espécies em todos os canteiros, incluíndo os que delimitam o futuro lago e o círculo de bananeiras. Eliminámos aquelas que não pretendemos que se propaguem por agora, deixando espaço livre e nutrientes para as que nos interessam.

Colhemos várias flores de calêndula selvagem para macerar e utilizar em futuros produtos medicinais e distribuímos pelos locais definitivos as diferentes plantas que ainda temos em vaso e que em breve serão colocadas na terra. Obrigado mais uma vez à nossa amiga Ana pela ofertas de mais plantinhas que nos fez na passada sexta-feira! Estas também já foram distribuídas e talvez ainda esta semana vão ocupar os seus locais definitivos no nosso espaço.

 

Manutenção do Espaço e Utilização de Podas

Durante o dia de hoje limpámos caminhos retirando ervas que estão constantemente a apoderar-se dos mesmos, como é natural. Aqui resolvemos tudo de forma ecológica arrancando-as à mão. Ao mesmo tempo vamos dando cortes de gadanha em alguns locais onde as ervas tenham crescido mais, aproveitando para deixá-las secar no local e utilizá-las mais tarde como cobertura a quando do despejo regular das sanitas secas no compostor. Movemos os fardos de palha para a zona da futura horta, encostando-os ao muro para obterem uma melhor exposição solar e secarem por completo depois das chuvas das últimas semanas.

Aproveitando as podas e ramos secos que recolhemos aqui no espaço, utilizámos um fogareiro que nos ofereceram, para fazer uns grelhados. No final, as brasas ainda permitiram produzir água quente para chá e fazer café! 😉

As cinzas resultantes serão utilizadas no compostor, nos canteiros, ou na produção de lixívia de cinzas! 😉

 

Círculo de Bananeiras Concluído

portugal-flag-icon
Ontem depois de um dia intenso de trabalho e com a ajuda de dois amigos especiais, conseguimos finalmente terminar de preencher o centro do nosso círculo de bananeiras. A próxima fase passará por plantar Erva Principe a toda a volta.

Das podas que tínhamos, ainda separámos paus finos para os fogões foguete, paus intermédios e curtos para a bailarina e troços maiores para a salamandra. Os de maior dimensão estão a postos para serem cortados e armazenados. O pequeno telheiro para a lenha já está quase cheio. Em breve teremos de criar mais uma zona de armazenamento de lenha para o inverno.

Durante o dia de hoje e depois da chuva que caiu durante algumas horas, o Sol regressou e foi possível dar um passeio pelo espaço e ver o comportamento dos canteiros, do círculo de bananeiras, dos compostores e dos pequenos amiguinhos que andam por aqui a alimentar-se! Está tudo a compor-se! 😉